1512Fri2017

Última atualização12:10:42 AM GMT

Voltar Destaques A inteligência do homem espiritual

A inteligência do homem espiritual

  • PDF
A inteligência, de uma forma geral, pode ser definida como o conjunto de funções psíquicas e psicofisiológicas que contribuem para o conhecimento, para a compreensão da natureza das coisas e do significado dos fatos; é a capacidade de raciocinar, que permite ao ser humano captar e analisar informações, compreender ideias abstratas, tirar conclusões, aprender coisas novas, desenvolver habilidades, planejar-se para o futuro.

Existem vários tipos de inteligência humana. Mas, na Bíblia, é apontado um outro tipo de inteligência, a espiritual. O que seria isso? Outro tipo de habilidade humana ou uma habilidade especial concedida por Deus àqueles que foram salvos por Cristo e tornaram-se templos do Espírito Santo? De acordo com 1 Coríntios 2.11-16, esta última opção é a verdadeira.

Falando acerca do discernimento superior que o homem espiritual possui, Paulo assinalou que:
Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.  Porque quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.
1 Coríntios 2.14-16

O apóstolo havia explicado nos versículos anteriores a razão desta afirmativa:
Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.
1 Coríntios 2.11-13

Pelo que Paulo afirmou, podemos concluir que é uma habilidade sobrenatural, dada por Deus, que todo aquele que nasceu de novo, ou seja, foi regenerado espiritualmente, e está em Cristo possui de entender as coisas espirituais e discerni-las; capacidade que não tem o homem natural nem o carnal, porque estes vivem de acordo com as concepções, os valores e o entendimento meramente humanos, enquanto o homem espiritual vive de acordo com a Palavra de Deus, os princípios e os valores espirituais ensinados nela e ministrados pelo Espírito Santo, que habita nos salvos e que, como prometeu Jesus, ensina-lhes todas as coisas e os lembra de tudo quanto o Filho de Deus disse (João 14.26).

De acordo com Paulo, aqueles que estão em Cristo têm a mente, a mentalidade, a forma de pensar, de Cristo; por isto, eles podem compreender o que os naturais e os carnais não conseguem: as coisas do Espírito de Deus. Por quê? Porque ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus (v. 11). E Deus revela essas coisas aos espirituais pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus (v. 10).

Sendo o Espírito Santo o Agente da revelação de Deus ao ser humano, o Senhor, por intermédio do Seu Espírito, comunica ao espírito do homem a verdade e os princípios espirituais em Sua Palavra, de modo que este compreenda o plano de salvação, acate-o e coopere com Deus para a salvação de outros, enquanto cresce espiritualmente até chegar à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo (Efésios 4.13), herdar a salvação e todas as bênçãos pertinentes.

Sendo assim, a inteligência espiritual é imprescindível ao homem tanto do ponto de vista individual como coletivo, como Igreja. Mas o que esse tipo de inteligência proporciona? Como identificar uma pessoa que tenha a mente de Cristo, distinguindo o homem espiritual do natural e do carnal? O próprio Paulo assinalou que o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido (1 Coríntios 2.15). Em outras palavras, a pessoa que é espiritual discerne quem não é espiritual e as motivações deste. Contudo, o homem natural e o cristão carnal não discernem a pessoa espiritual nem as coisas espirituais não por não quererem, mas por não poderem; afinal, as coisas do Espírito de Deus [...] se discernem espiritualmente (v. 14). Além disso, estas coisas lhes parecem loucura.

Qual o perfil da pessoa que tem inteligência espiritual, a mente de Cristo? De acordo com Paulo, ela: 1) não tem o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus (v.12a); 2) entende o que Deus ofereceu gratuitamente à humanidade por intermédio de Cristo (v. 12b); 3) fala (prega, ensina, dá testemunho de sua fé) não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais (v. 13); 4) compreende as coisas do Espírito de Deus (em oposição à pessoa carnal, v. 14); 5) discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido (v. 15).

O verbo discernir nesse texto, de acordo com o original grego, também poderia ser traduzido como escrutinar, que significa examinar com atenção e minúcia, esquadrinhar, sondar, a fim de descobrir, conhecer algo, fazendo distinção entre as coisas naturais e as espirituais, comparando-as e agrupando-as de acordo com a natureza delas, a fim de poder acatar toda a vontade de Deus tanto ao nível individual como coletivo.

Essa é a capacidade da pessoa que tem a mente de Cristo. Ela possui inteligência, percepção, iluminação divina, sabedoria de Deus para entender as coisas de Deus! Que coisas são essas? São as coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam (2 Coríntios 2.9); as coisas eternas que Ele revelou pelo seu Espírito aos que o amam e irão morar com Ele por toda a eternidade.

A pessoa espiritual vê o que ninguém vê, discerne o que ninguém discerne, entende o que ninguém entende, e realiza o que ninguém realiza.


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Newsletters

Inscreva-se para receber
os nossos informativos!

Por favor, insira seu email abaixo.