2002Tue2018

Última atualização12:10:42 AM GMT

Voltar Matérias

Matérias

A inteligência do homem espiritual

  • PDF
A inteligência, de uma forma geral, pode ser definida como o conjunto de funções psíquicas e psicofisiológicas que contribuem para o conhecimento, para a compreensão da natureza das coisas e do significado dos fatos; é a capacidade de raciocinar, que permite ao ser humano captar e analisar informações, compreender ideias abstratas, tirar conclusões, aprender coisas novas, desenvolver habilidades, planejar-se para o futuro.

Existem vários tipos de inteligência humana. Mas, na Bíblia, é apontado um outro tipo de inteligência, a espiritual. O que seria isso? Outro tipo de habilidade humana ou uma habilidade especial concedida por Deus àqueles que foram salvos por Cristo e tornaram-se templos do Espírito Santo? De acordo com 1 Coríntios 2.11-16, esta última opção é a verdadeira.

Falando acerca do discernimento superior que o homem espiritual possui, Paulo assinalou que:
Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.  Porque quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.
1 Coríntios 2.14-16

O apóstolo havia explicado nos versículos anteriores a razão desta afirmativa:
Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.
1 Coríntios 2.11-13

Pelo que Paulo afirmou, podemos concluir que é uma habilidade sobrenatural, dada por Deus, que todo aquele que nasceu de novo, ou seja, foi regenerado espiritualmente, e está em Cristo possui de entender as coisas espirituais e discerni-las; capacidade que não tem o homem natural nem o carnal, porque estes vivem de acordo com as concepções, os valores e o entendimento meramente humanos, enquanto o homem espiritual vive de acordo com a Palavra de Deus, os princípios e os valores espirituais ensinados nela e ministrados pelo Espírito Santo, que habita nos salvos e que, como prometeu Jesus, ensina-lhes todas as coisas e os lembra de tudo quanto o Filho de Deus disse (João 14.26).

De acordo com Paulo, aqueles que estão em Cristo têm a mente, a mentalidade, a forma de pensar, de Cristo; por isto, eles podem compreender o que os naturais e os carnais não conseguem: as coisas do Espírito de Deus. Por quê? Porque ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus (v. 11). E Deus revela essas coisas aos espirituais pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus (v. 10).

Sendo o Espírito Santo o Agente da revelação de Deus ao ser humano, o Senhor, por intermédio do Seu Espírito, comunica ao espírito do homem a verdade e os princípios espirituais em Sua Palavra, de modo que este compreenda o plano de salvação, acate-o e coopere com Deus para a salvação de outros, enquanto cresce espiritualmente até chegar à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo (Efésios 4.13), herdar a salvação e todas as bênçãos pertinentes.

Sendo assim, a inteligência espiritual é imprescindível ao homem tanto do ponto de vista individual como coletivo, como Igreja. Mas o que esse tipo de inteligência proporciona? Como identificar uma pessoa que tenha a mente de Cristo, distinguindo o homem espiritual do natural e do carnal? O próprio Paulo assinalou que o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido (1 Coríntios 2.15). Em outras palavras, a pessoa que é espiritual discerne quem não é espiritual e as motivações deste. Contudo, o homem natural e o cristão carnal não discernem a pessoa espiritual nem as coisas espirituais não por não quererem, mas por não poderem; afinal, as coisas do Espírito de Deus [...] se discernem espiritualmente (v. 14). Além disso, estas coisas lhes parecem loucura.

Qual o perfil da pessoa que tem inteligência espiritual, a mente de Cristo? De acordo com Paulo, ela: 1) não tem o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus (v.12a); 2) entende o que Deus ofereceu gratuitamente à humanidade por intermédio de Cristo (v. 12b); 3) fala (prega, ensina, dá testemunho de sua fé) não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais (v. 13); 4) compreende as coisas do Espírito de Deus (em oposição à pessoa carnal, v. 14); 5) discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido (v. 15).

O verbo discernir nesse texto, de acordo com o original grego, também poderia ser traduzido como escrutinar, que significa examinar com atenção e minúcia, esquadrinhar, sondar, a fim de descobrir, conhecer algo, fazendo distinção entre as coisas naturais e as espirituais, comparando-as e agrupando-as de acordo com a natureza delas, a fim de poder acatar toda a vontade de Deus tanto ao nível individual como coletivo.

Essa é a capacidade da pessoa que tem a mente de Cristo. Ela possui inteligência, percepção, iluminação divina, sabedoria de Deus para entender as coisas de Deus! Que coisas são essas? São as coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam (2 Coríntios 2.9); as coisas eternas que Ele revelou pelo seu Espírito aos que o amam e irão morar com Ele por toda a eternidade.

A pessoa espiritual vê o que ninguém vê, discerne o que ninguém discerne, entende o que ninguém entende, e realiza o que ninguém realiza.

Quarto para sonhar

  • PDF

O quarto é o ambiente mais íntimo da casa, perfeito para os momentos de descanso e relaxamento. Não importa o estilo, o quarto deve ser o lugar mais tranquilo e aconchegante da casa.

Tenha um quarto confortável, onde possa descansar relaxar e esquecer o mundo, com ar sereno. Nesta matéria trazemos dicas para seu quarto!!!

 Peça de destaque: Cama

Importante: antes de comprar, certifique-se das medidas.Um modelo grande demais pode ocupar grande parte do quarto e atrapalhar a circulação.

Lembre-se: calcule o tamanho ideal, prevendo também espaço para abertura de portas, armários e gavetas; deixe um espaço livre de no mínimo 60 cm nas laterais até os pés da cama.

Harmonia: atente que a cama é a peça principal do quarto, é ela que determinará os modelos e as cores dos outros elementos do ambiente.

Evite modelos de pouca altura para pessoas com dificuldades de locomoção.

Dicas: confira se a altura do colchão não ultrapassa a altura da sua cabeceira ou se ela não irá escondê-la. Experimente a cama antes de fechar a compra, existem modelos de cama baú para guardar a roupa de cama.

 Guarde nas gavetas: Mesa Lateral

Importante: no momento da compra, mesas laterais para o quarto. Lembre-se de verificar se o tamanho da peça é proporcional ao espaço.

Lembre que o móvel deve estar esteticamente de acordo com a decoração do dormitório e atender as necessidades da acomodação dos objetos.

Harmonia: a mesa lateral pode ter cores ou materiais compatíveis com os outros móveis com acabamento de madeira ou espelhado; outra opção é ser uma peça de destaque colorida.

Evite peças grandes demais ou com altura superior à cama.

Dicas: para modelos de mesa lateral com gavetas, opte sem puxadores para dar aspecto mais leve; escolha modelos com abertura de leve toque.

 Objetos de desejo: Armários

Importante: os armários precisam ter muitas divisões para armazenar           organizadamente os diferentes tipos de roupa; o armário deve caber no espaço disponível do quarto.

Lembre-se: verifique se as gavetas deslizam bem, se as portas têm tipo de abertura adequada para o local onde o armário será colocado, se as divisões não estão subdimensionadas para cada tipo de roupa, se há espaço para acessórios e espelho.

Harmonia: opte por espelhos, pois ampliam quartos pequenos, duplicam visualmente o espaço.

Evite: armários com ferragens que não são de marcas confiáveis, pois são elas que garantirão o bom funcionamento das partes móveis ao longo do tempo.

Dicas: meça e anote o volume de cada tipo de roupa que será guardada, confira se o armário possui as divisões e tamanhos necessários para todos.

 Para o dia nascer feliz: Roupa de Cama

Importante: na hora de escolher os produtos, atenção para a qualidade.

Verifique se são 100% algodão ou antipilling, pois retarda o aparecimento de bolinhas no tecido. Esses fatores indicarão a durabilidade das peças.

Lembre-se: certificar-se das medidas da cama para não comprar jogos de tamanho incorreto. Analise também a contagem dos fios, que representa maciez e conforto. Opte por produtos funcionais que ofereçam praticidade para o dia a dia.

Harmonia: prefira as peças clean, que não brigam com as outras composições do ambiente.

Evite cores fortes em excesso, materiais duros ou ásperos.

Dica: procure escolher manufaturas que sigam totalmente os processos de fabricação sustentável e ecológica.

 Detalhes pontuais: Acessórios

Importante: escolha o que é realmente importante e necessário para os usuários do dormitório e evite supérfluos.

Lembre-se: opte por acessórios que serão importantes na rotina diária e trarão conforto para quem for usar o quarto. Pode ser uma cadeira, uma luminária para estudos ou leitura.

Harmonia: se preferir usar tons fortes nesse espaço, procure colocá-los apenas em algumas peças e faça uma composição com as outras matrizes mais neutras.

Evite excessos nas quantidades e dimensões, também procure não abusar nas cores ou formas.

Dica: busque privilegiar espaços vazios, eles tornam o ambiente mais relaxante.

Mais que Teoria

  • PDF

Quando o Senhor Jesus disse :

" Recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas ...em todo lugar" (Atos 1:8), eu entendo que Ele dizia:

- Proclama a Verdade em todo tempo e viva a minha vida em ti! Dê continuidade à minha obra, sendo como eu sou. Quero que me vejam em ti. Faça conforme eu fiz! Não se esqueça do Pai que está em mim, como estou em ti. E farás coisas maiores que as que eu fiz."

Cristo em mim é mais que teoria. O Poder que me transforma está em me tornar como Ele é. É fechar as fontes do mundo e eleger uma única matriz, potencializando o máximo de Deus no mínimo do mundo em mim.

Fraseologias superficiais não transformam a vida de ninguém, só distraem a mente. Experiências reais todos os dias tiram o evangelho do papel e constrangem a mais elaborada fortaleza erguida pela razão humana.

Aproveite as oportunidades diárias que você tem de exercitar sua fé e mover os céus! 
Não negue oração a ninguém.

Todo início é inseguro, frágil e pequeno.
Alimento e exercício fazem parte da construção e do fortalecimento da sua fé.

Ore, Profetize, estenda a mão, movimente-se e teste suas teorias. ... Momentos com Deus podem marcar sua vida pra sempre.

Você não nasceu para assistir a histórias extraordinárias, nasceu para vivê-las!

E falando do que realmente vive, suas palavras transportarão os montes, levantarão os mortos, libertarão os presos e trarão o céu aqui. "... Pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos." (Atos 4:20). 

Benditos ventos contrários

  • PDF

Na vida, em alguns momentos, a impressão que temos é a de que sobraram para nossa vida apenas as pressões de um cotidiano difícil e turbulento.

Uma das maiores invenções da humanidade nos ensina sobre a vida do líder. O avião é, sem dúvida, uma bênção no dia a dia de muitos. Cruzamos o país e o globo terrestre a bordo dessas máquinas voadoras geniais e, a cada dia, mais modernizadas. Você sabe o que faz, realmente, o avião decolar? Não são apenas as turbinas e as asas, mas também os ventos contrários. A oposição dos ventos faz com que o avião realmente voe. Creio que Deus nos ensina com isso que os ventos contrários podem tornar-se instrumentos para que alcancemos voos mais altos e, se é assim, precisamos dos ventos que sopram contra nós para que cresçamos mais e alcancemos as alturas.

Temos visto em meu ministério que ninguém jamais fez a obra de Deus fácil-fácil, mole-mole, sem nenhuma dificuldade, sem decepções e tantas coisas que ferem o coração, tentando, na verdade, nos fazer parar. Porém, todas as vezes que nos deparamos com as pressões da vida, podemos ouvir Jesus dizer: “Tende bom ânimo”.

Os ventos contrários não são para nos derrubar, mas, antes, são oportunidades de vermos o milagre.

Lutas e oposições precisam ser encaradas como oportunidades de crescermos. O que falta, muitas vezes, é crermos nas promessas. Quando lemos que “todas as coisas contribuem para o bem”, esquecemos que “todas as coisas” incluem ventos contrários.

Deus é fiel e no fim você  verá que esses ventos serão instrumentos de Deus para que se possa voar mais alto.

O líder verdadeiro é alguém que aprende o que foi dito anteriormente e cresce, mesmo quando todos acham que ele está sucumbindo.

Não é fácil bendizer os ventos, as oposições, entretanto são eles que fortalecem os alicerces de uma vida vitoriosa.

Deus o abençoe muitíssimo e que você e sua família voem bem mais alto neste ano.

Ap. Ezequiel Teixeira


Como formar uma equipe dos sonhos de Deus

  • PDF

Há ainda gente que pense que uma vitória institucional se dê por seus méritos de liderança em uma carreira solo. No entanto, a gestão estratégica de recursos humanos tem como base inequívoca que o trabalho em equipe e a capacidade relacional do líder são atributos indispensáveis à formação de um time vencedora.

 Na igreja não é diferente. A igreja possui sua dimensão institucional, social e material. É nesta dimensão que a religião requer gerência, profissionalização. A igreja é uma instituição onde pessoas desempenham papéis, lidando com recursos humanos e materiais indispensáveis à concretização dos projetos desta instituição. Podemos dizer sem medo de ofensa aos princípios de fé e experiência espiritual, que a igreja é um empreendimento que apesar de não visar lucro material requer toda a gerência, método e administração de qualquer outro empreendimento. Ela também tem uma visão e uma missão, e requer um plano estratégico se quiser cumprir sua missão de maneira eficiente. Esta afirmação não fere a idéia de que a oração e a unção espiritual são os fatores determinantes da caminhada vitoriosa da igreja. Só não podemos esquecer que Deus coroa ao servo que trabalha com organização, planejamento e inteligência.

 Sendo assim, faz-se necessário pensar em como unir unção e ação. E sem sombra de dúvidas, a unção e a ação devem se direcionar de forma intensa na busca de uma equipe dos sonhos de Deus para a igreja. Se o líder não concentrar tempo em formar uma equipe com a cara de sua realidade e dentro da visão ministerial na qual está envolvido, estará fadado ao fracasso.

 A equipe ministerial deve ser coesa, amiga, transparente, espiritual e integrada na visão. Para isso é preciso distinguir a diferença entre “apenas trabalhar com as outras pessoas” e “viver em profunda comunhão uns com os outros, enquanto servimos juntos”. Um exemplo claro disso é o caso do renomado evangelista Billy Graham e sua equipe. Eles trabalharam juntos 45 anos organizando campanhas e projetos missionários pelo mundo, e agora quando muitos estão idosos, têm procurado construir casas próximas para o fim da vida juntos. Eles eram mais que obreiros. Eram amigos, companheiros e detentores de um mesmo sonho.

 Bill Hybels, uma liderança respeitada em todo mundo, afirma que além da família existem dois itens fundamentais para sua vida. Primeiro, Realizar a vontade de Deus pelo resto da vida. Segundo, Fazer a vontade de Deus em perfeita comunhão com as pessoas que ama e que o amam. Hybels afirma que uma equipe realmente unida permitirá coisas do tipo alguém dizer: “Sei que parece uma idéia maluca, mas que tal se...”. Há tranquilidade para sugerir, opinar e se envolver.

 Como formar esta equipe dos sonhos de Deus? Creio que algumas ações são indispensáveis:

1) Orar por uma equipe

A equipe não virá por acaso. Peça a Deus as peças chave para a visão que Deus lhe tem dado. Ore para que Deus apresente alguém para cada área que julga ser necessária ao sonho que Deus tem apresentado a você.

 2) Definir o propósito da equipe

Conforme o propósito definido, dons, habilidades e especialidades completamente diferentes serão necessárias. Se o líder não sabe o que Deus espera dele, como saberá que habilidades necessitará? O livro de George Barna com título O poder da visão ressalta justamente a necessidade que o líder tem de descobrir sua visão espiritual. Sem ela, o líder age por instinto e humanidade tão somente.

 3) Estabelecer critérios claros para a seleção de membros específicos da equipe.

Recrute valorizando o caráter, a competência e o nível de combinação com o grupo (3 C´s). Nada é mais importante que o caráter. Se a pessoa tem caráter, então avalie a competência para lidar com o que se espera dela. Se tem caráter e competência, ainda se faz necessário passar pelo crivo da capacidade de se relacionar com as pessoas de sua equipe. Esta sugestão de Bill Hybels é prática e real.

 4) Responder à pergunta: “Que é necessário para que esta equipe desenvolva todo o seu potencial? Que tipo de líder preciso ser para que isso aconteça?”

Não se pode esquecer que todo membro da equipe requer um ambiente para desenvolver todo seu potencial. Ele precisa de comunhão com o grupo e condições de trabalho. E não se pode esquecer que a comunhão não acontecerá espontaneamente na maioria dos casos. O líder deve planejar ações para promover comunhão de sua equipe.

 5) Definir metas grandes e claras

Nenhuma equipe se sente estimulada por uma meta medíocre. Nenhuma equipe trabalha focada se não tem clareza dos resultados esperados.

 6) Avaliar sistematicamente os resultados

Definida uma visão e as metas para atingimento da mesma, torna-se imprescindível que se avalie se os planos estão sendo executados à risca e se esta execução ainda que à risca, está gerando os resultados esperados.

 7) Recompensar a equipe pelo trabalho bem feito

Todo mundo precisa de incentivo. Não é porque Deus abençoa seus servos que o líder deve deixar totalmente a cargo do Senhor a recompensa espiritual pelo trabalho feito. Um líder precisa reconhecer seus companheiros ministeriais. Isto traz motivação ainda que em meio à lutas.

 Forme uma equipe dos sonhos de Deus e o impacto de seu ministério será acima de sua possibilidade visionária. Creia e comece!!!

 (Sugestão para leitura: Bill Hybels em Liderança Corajosa)

Que Evangelho É Esse?

  • PDF

Você pode e tem o direito de não concordar com o que vou escrever, afinal de contas, somos um país livre, democrático e temos liberdade de expressão (ainda)!

Como todo cristão e um homem que defende os direitos da família, acho um absurdo a forma como a mídia secular trata os valores da família. Pior: vejo que muitos “evangélicos” acabam se vendendo, fazendo alianças em troca de  uns momentos de fama só para dizer que está em evidência! Falei há alguns números atrás (do jornal) sobre a entrevista a que assisti de um cantor “gospel”  a um apresentador famoso da TV. O cara simplesmente não falou o nome “Jesus” uma única vez! Depois que todo mundo caiu falando mal, ele vem com a desculpa de que era uma estratégia para deixar a porta aberta! Rsrsrs Só rindo!

Tenho visto e ouvido pessoas falando sobre o crescimento do evangelho e chego à conclusão que algo está errado! Bom, se está crescendo, isso deveria ser refletido em uma mudança na sociedade. Já que a população evangélica cresce, deveria haver menos roubo, menos corrupção, mudança comportamental na sociedade, mas o que vejo é o contrário. Aí me pergunto: Que crescimento é esse? Que evangelho é esse?

A bíblia fala que somos a luz do mundo e o sal da terra. Se você parar  e  pensar: Quantas igrejas há no seu bairro? Quantas igrejas nós temos no Estado do Rio de Janeiro? Quantos cristãos são no país? Por que a coisa não muda? Será que temos despertado o interesse nas pessoas pela salvação? Novidade de vida?

Somos um povo que não busca a DEUS, e sim as suas bênçãos! Somos  uma igreja gananciosa, mimada (quando digo igreja, não me refiro à instituição, e sim a pessoas, pois a igreja de Cristo somos nós, você e eu!)

O que importa hoje é conquistar, tomar posse. Estou cansado de “profetadas” , palavras soltas ao vento sem base bíblica, sem conteúdo. Existe muito crente frustrado, decepcionado, amargurado. Nunca se viu tantos casos de depressão no meio cristão como hoje! Nunca se viu tantas famílias com problemas, de filhos, cônjuges doentes da alma.

Infelizmente perdemos o foco! Tem gente querendo fama em cima do nome de Jesus. Vivemos hoje um evangelho virtual, do curtir, compartilhar o evangelho da TV. Em que se faz alianças com a desculpa de que o evangelho está sendo pregado. Não precisamos de TV para que o evangelho seja pregado, e vou provar isso a você! Lembra-se de João Batista? A igreja dele era no deserto! E a multidão ia para ouvir; e se você ler a bíblia, ele (João) não pregava o que as pessoas queriam ouvir ou fazer corrente para ficar rico.

Nossas igrejas parecem clubes sociais com suas agendas lotadas de eventos, atrações conhecidas. Cantores “gospel” que cobram uma fortuna para “adorar”.

Existe um projeto de lei em que não poderemos fazer culto ao ar livre. Agora eu pergunto: Quantas igrejas você vê por aí fazendo culto ao ar livre? Indo buscar as vidas perdidas? Sabe por quê? Isso dá trabalho! Você tem que estar preparado para cuidar de gente doente física e espiritualmente falando, famílias destruídas, viciados, doentes.

Nós, a igreja do Senhor, precisamos voltar ao primeiro amor, em que a unidade é que fazia a diferença; não essa unidade que só acontece em época de eleição para favorecer  alguns poucos... Tenho visto igrejas próximas umas das outras, quase que vizinhas, mas que pastores são brigados, não se falam, cada um prega um evangelho diferente do outro. Você acha que DEUS está nisso? Que amor é esse? Eu acredito que existem bênçãos que, para conquistá-las, não adianta fazer corrente, jejum, vigília, etc., que só vamos tomar posse realmente quando vivermos uma unidade no Senhor.

Precisamos atacar as causas para que cessem de uma vez os efeitos!

Graça e Paz!

Quando a palavra é Salgada.

  • PDF

“Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós. Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens”. (Mateus 5.11-13).

Na vida daquele que foi chamado para levar a palavra, há uma ambiguidade (que se pode tomar em mais de um sentido) a ser desvendada e compreendida.

A primeira, a de ser um “BEM-AVENTURADO”.  Ser um Bem-aventurado por causa de Jesus. “Bem-aventurado sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa”. Tal escolha o fará sofrer injúrias, perseguições mentiras e toda a sorte de mal.

Que ninguém abrace tal chamado como sendo um desavisado. Foi Cristo quem nos alertou sobre tão desafiadora missão.

A segunda, a de ser um “imprestável”, que foi lançado fora para ser pisado pelos homens. “Se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens”.

É quase o mesmo que decidir entre a CRUZ ou a espada. Difícil escolha. Difícil decisão. Só mesmo pagando o preço. E o melhor disso tudo, é que não há aqui uma terceira opção.

Milhares de pessoas já escolheram entre os dois caminhos. Milhares já fizeram sua opção.

Opção 1: Ser o Sal da Terra, ser um Bem-aventurado. (sofrerá as consequências, pagará o preço).

Opção 2: Ser Insípido, não Salgar. (sofrerá as consequências, pagará o preço).

Se a palavra que um dia chegou aos seus ouvidos lhe pareceu um tanto quanto salgada. Pense!

Não seria essa palavra fruto da “escolha” de alguém que fez a primeira opção? Que escolha ele teve? Seria a segunda escolha uma boa opção?

Que Deus use de misericórdia. Tal vida vai pagar seu preço por sua escolha e opção. Creio também que essa vida poderá estar muito feliz e exultante por saber claramente que não fez a segunda opção.

Seja essa vida abençoada por Deus, na escolha firme que fez de SER SAL DA TERRA.

Quando as consequências vierem (injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra... por minha causa), ele certamente estará firmado em uma promessa: “Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós”.

Se você é um crente, vocacionado, ou mesmo um pastor, e se sente injustiçado, glorifique a Deus por isso: “assim perseguiram os PROFETAS que foram antes de vós”.

Sem o profeta: “com que se há de salgar?”. Por falta de sal, a “carne” se degenera chegando mesmo a estragar.

Este Sermão (Mateus 5) foi pregado por Jesus: “Ninguém tem maior amor do que este...” (João 15.13). Ele o pregou no alto de uma montanha, e ainda hoje se faz ecoar a sua voz.

Decidi que darei a este sermão a seguinte aplicação: “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um”. (Colossenses 4.6). Pretendo aplicá-lo diretamente em toda a minha prática ministerial.

E você, como procederá a sua aplicação?

Do coração do pastor, direto para o seu coração.

Pr Carlos Elias de Souza Santos.

Adoração na Prática

  • PDF

A palavra “adoração”, que significa “prostrar-se, ajoelhar-se, reverenciar, prestar culto” vem perdendo significado nos dias de hoje. Até mesmo os dicionários apresentam mais um sentido para essa palavra: “gostar exageradamente, ser apaixonado por”.

Vivemos numa época em que a adoração está  se limitando apenas às igrejas; parece que as pessoas perderam o temor a Deus; vivem como se dependessem apenas de seus conhecimentos, ciência e saber. Mas quando estes falham ou são insuficientes para lhes tirar de uma situação difícil, lembram que existe um ser superior a quem devemos adorar, o Único capaz de solucionar causas impossíveis.

Mas adoração não serve só para isso; a adoração deve vir antes do socorro, porque até  mesmo um agradecimento pelo livramento não é adoração, e sim louvor. Adoração deve ser um estilo de vida, uma maneira de se portar, um modus operandi. Devemos adorar a Deus pelo que Ele é, reconhecendo todos os Seus atributos, e assim percebendo quem nós somos. Neste ponto, diferimos completamente dele. Apesar de termos sido criados à imagem e semelhança de Deus [Gênesis 1:26], fomos criados; logo, Ele é o Criador, e nós, criaturas. Portanto, a adoração deve fazer parte do nosso cotidiano, como estilo de vida.

Podemos citar esse estilo em três áreas distintas:

Primeiro, ter um estilo de vida de adorador em seus valores pessoais. Decidir não se envolver em falcatruas, coisas ilícitas, pecados, imoralidades. A ideia é buscar um conceito pessoal de viver bem consigo mesmo, tendo uma boa autoimagem, vivendo com uma boa saúde emocional. Quando eu faço as coisas certas, eu estou decidindo viver bem.

Segundo, ter um estilo de vida de adorador nos faz entender o valor da família, a célula mater da sociedade, definida pela Bíblia: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.” [Gênesis 2:24] Além disso, uma sociedade com famílias desestruturadas produzem valores distorcidos. Rui Barbosa afirmou: “Família é a célula mater da sociedade.”. John MacArthur escreveu: “Talvez, sejamos testemunhas da morte da célula básica de toda a civilização, a família.” Se sou um bom adorador, feliz comigo mesmo, replico isso para minha família, ensino aos meus filhos, a fim de que eles entendam e vivam os mesmos valores. É exatamente isso que Paulo enfatiza quando escreve em 1 Timóteo 5.8: “Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior do que um descrente.”.

E por último, ter um estilo de vida de adorador, no que tange ao conceito dos outros, no viver bem na sociedade. Um adorador fiel a Deus deve ser um bom cidadão, respeitoso, ético, moral, que não traz problemas à sociedade. Se vivo bem comigo mesmo, se amo a mim mesmo, serei um bom pai, bom marido, bom filho; e ensino meus filhos a agirem da mesma forma. Assim, “crio” boas pessoas e entrego bons cidadãos à sociedade.

Se queremos ser bons adoradores, devemos ter essa prática não só dentro das igrejas, mas também viver esse estilo em todos os lugares: na rua, no carro, no bairro, na escola, no trabalho... em qualquer lugar.

Como Tomar Posse da Bênção

  • PDF

Antes de entrar no tema propriamente dito, vamos ler uma palavra introdutória que está em Jo. 10:10 “ O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; Eu vim  para que tenham vida e a tenham em abundância.”

A função do inimigo é exatamente essa, seja para os crentes ou não. Ele veio para roubar principalmente o nosso entendimento como está escrito em Oséias 4:6.

A Palavra de Deus é a saída para todos os males, mas o problema está em como aplicá-la corretamente em nossas vidas, para que desfrutemos uma vida em abundância. Quando encontramos Jesus e o declaramos como Único e suficiente Salvador, nós ganhamos vida conforme o que diz Jo. 11:25” Disse-lhe Jesus: “ Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto , viverá.”Antes mortos  nos delitos e pecados, hoje vivos em Cristo, regenerados na nossa alma e recriados no nosso espírito.

Esse primeiro momento é fundamental para uma nova vida, afinal somos nova criatura e mais ainda, fomos enchertados na videira verdadeira nos tornando filhos legítimos e herdeiros de todas as promessas , inclusive a que diz que pelas suas pisaduras fomos sarados (Is. 53:5). Por isso o segundo momento é o retrato daquilo que Deus tem para as nossas . Ele não economizou forças para dizer: “Está Consumado”. Está consumado a nossa vitória,  nossa cura, nossa alegria permanente, nossa liberdade para o adorar, nossa libertação, a realização de nossos projetos. Enfim, tudo que Jesus conquistou na cruz é direito nosso e nossa herança, todas as bênçãos de Deus para nós tomamos posse é nossa herança. Jesus veio para dar  e não receber. Ele veio para que  as pessoas tenham uma vida abundante, alegre e eterna.

Esta palavra “Abundante”no grego é perisson, que significa “muito muito bem, além da medida, uma quantidade tão abundante que chega a ser mais do que se pode esperar” Em suma, Jesus nos promete uma vida muito melhor do que poderíamos imaginar. Leia. 1Co. 2:9; Ef. 3:20. A vida abundante verdadeira consiste  de uma abundância de amor, alegria, paz gozo do Espírito Santo, todos os dias da nossa vida. Então, porque muitos depois de conhecerem a Jesus não vivem essa vida de abundância em todas as áreas de suas vidas. Leia Jo. 14:13. A palavra pedirdes, muitas vezes interpretamos erradamente. Aqui no texto ela tem o avlor de determinar, exigir, mandar. O verbo pedir  (Aiteó e seus cognatos, em língua portuguesa) tem esse sentido de determinar, exigir benção, que segundo a palavra, já é nossa! É simplesmente concordar com o Senhor e não deixar que o diabo ficar com aquilo que nos pertence.

Ao exigirmos o cumprimento  de tudo o que legalmente é nosso, estamos agindo  estritamente dentro da vontade do Senhor, expressa nas escrituras. Certamente não podemos exigir que Deus faça algo por nós. Exigir benção não é dar ordem ao Senhor, mas é obedecer a Ele, começar a assumir a posição de filho de Deus e reconhecer que, quando Jesus morreu no calvário , fomos trazidos de volta a condição de filhos e herdeiros das suas promessas com direito legítimo de tomar posse das bênçãos que a palavra d’Ele  tem ao nosso respeito. Se ficarmos passivos diante da conquista da cruz, cairemos no erro da murmuração por aquilo que estava disponível e não assumimos como nosso. Muitas pessoas entendem mal esse versículo do salmo 40 “ Esperei com paciência no Senhor, e Ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor”. Entendem que significa que temos que orar e esperar até que Deus resolva ou decida  curá-las aguardando que Deus venha em seu socorro enquanto dia e noite gritam e gemem não suportando mais as dores. Deus não é masoquista, não é o Senhor que vai nos abençoar, Ele já nos abençoou com toda sorte de bênçãos  espirituais nas regiões celestiais . Ef. 1:3 Ele já fez tudo o que tinha de fazer em relação a nossa cura! Agora, é preciso que façamos algo: Exigir que o mal saia da nossa vida.  Na verdade, o Senhor tem estado o tempo todo esperando  que determinemos, para que Ele faça a obra. É hora de decidir dar um basta nessa situação, levantar e tomar posse da benção . Vamos trocar essa espera paciente por agir com ousadia na Sua presença. Quando você atua com fé. Ousadia e coragem em nome de Jesus, coloca o poder de Deus em ação.

Graça e Paz!

Newsletters

Inscreva-se para receber
os nossos informativos!

Por favor, insira seu email abaixo.