2112Sun2014

Última atualização02:26:25 PM GMT

Voltar Matérias

Matérias

Natal, tempo para adorar ao Rei dos reis!

  • PDF

Mt. 2:1, e 8

1 - E, tendo nascido Jesus em Belém de Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém.

2- Dizendo: Onde está aquele que e nascido rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo.

8 – e enviando-os a Belém, disse-lhes: ide, e perguntai diligentemente pelo menino e

quando o achardes, participai-me, para que eu também e o adore.

O verdadeiro natal se originou por causa do nascimento do filho de Deus, Jesus Cristo, amém!  Jesus nasceu no tempo de Herodes, e quem foi ao encontro desse nascimento  foram os  reis magos, e quem era os magos: homens dotados de ciência, sabedoria, filosofia de uma religião culta da época ( persa ) e astrônomos.

O que podemos aprender com os reis magos:

1º Os magos vieram de longe do oriente a Jerusalém, caminharam bastante para adorar ao Senhor, tiveram dificuldades na  caminhada ,mais não desistiram de adorar ao Senhor. Hoje em dia , qualquer probleminha as pessoas estão deixando, desistindo  te adorar ao Senhor, você não pode parar, desistir, deixar de adorar a Jesus. (Mt. 24:14). Não desista dessa caminhada.

2º Os magos, quando encontraram  Jesus, já tinham aproximadamente  de 40 dias a 2 anos de nascido, além de uma caminhada dura , difícil , tiveram o tempo de espera, que aos olhos de muitos, parecia que a profecia não iria acontecer. Os magos perseveraram em sua caminhada, e esperaram o tempo certo para adorar o filho de Deus! Aprendemos aqui é que precisamos saber espera.

Os magos, quando o encontram, prostraram e adoraram, reconheceram a Sua majestade, estavam convencidos que aquele menino era o filho de Deus, e que iria implantar o Seu Reino aqui na terra. Aprendemos  que tudo aqui é Dele e para Ele. Toda honra e gloria e louvor, não são para igreja, não é para homens e sim para o Senhor Jesus.

4º Os magos levaram com eles, além de materiais necessários para sua viagem, carregava com eles uma grande bagagem de oferta, (ouro, incenso e mirra), que exigiam deles um grande esforço, um grande sacrifício. Aprendo que na caminhada do adorador, não é fácil, requer sim, sacrifício. Três passos importantes na vida de um adorador: fé, obediência e sacrifício.

5º Os magos sabiam quem eles, estavam procurando, o que você procura na igreja? Fama, aplausos, títulos ou aparecer. O verdadeiro cristão só procura uma coisa “adorar o Senhor Jesus”. Aprendo que  é preciso adorar mais o Senhor ( + JESUS  ­–RELIGIÃO).

6º Os magos, conheceram o verdadeiro natal, que se deu no nascimento de Jesus, na estribaria (manjedoura), só quem conhece o verdadeiro natal, são aqueles que acolhem em seu coração o filho de Deus, como Senhor e Salvador, e no seu coração nenhum outro. Amém.

Vs.2—A estrela havia passado pelo palácio de Herodes, então os magos, perguntaram: onde estava o rei dos judeus? Nós da entender que os magos pensaram que Jesus estava ali. Por ser um palácio, e ter um rei, só que a estrela passou direto, não ficou ali, naquele lugar. Hoje é comum as pessoas acharem (pensar) que Jesus estar só em igrejas grandes, catedrais, onde muitas delas Jesus até passou por ali, mas não esta mais na direção, hoje quem esta na direção é o homem, não são todas. Jesus  pode estar em catedrais, como nas igrejas mais simples, inclusive, dentro de mim e de você.

Vs-7/8- Herodes pergunta  a cerca do tempo que havia de nascer  o menino, depois fala  quando encontrar o menino,  vem e me diz onde está  por que  vou adorá-lo, mas vontade dele era de matá-lo! Será que você, já teve experiência com pessoas assim, que falam uma coisa e desejam outra? Herodes falava em adorá-lo. Por trás das palavras de Herodes, a vontade era outra, era de matá-lo. Na sua frente é o cara, dá tapinha nas costas, fala bem de você, sorrir, abraça beija etc. Mas por trás de você, só sabe falar mal, só agi com maldade. São pessoas falsas, hipócritas e invejosas.  Que na sua frente é uma coisa, e por trás é outra. “Como Herodes, falava em adorar Jesus, mas o desejo, a vontade era outra”.  Alguns exemplos veem nessa época de final de ano, fica o ano todo te perseguindo, falando mal, te caluniando. E só por que é natal e final de ano, vem com a cara mais sínica possível para te abraçar, como nada tivesse acontecido, ou aconteceu. Vigia!

Vs-9-Os magos, adoraram e ofereceu: ouro, incenso e mirra, reconhecendo o reino de Deus acima de qualquer valor, o verdadeiro servo, adorador não negocia o reino de Deus, para ele Jesus é o que tem maior valor, pois é inegociável.

A oferta foi de grande valor, ouro, incenso e mirra, e de uma importância tremenda, foi através daquela oferta que Maria sua mãe, José seu pai e o próprio Jesus, escaparam da morte, fugindo para o Egito e ficaram escondidos por causa da fúria de Herodes. Que queria matá-lo, a oferta foi de muita importância, por que ajudou a escaparem da morte. Por que José e Maria não tinham como viajar, estavam sem grana. E este Jesus chegou até nós, gloria Deus, a oferta é de muito valor para Deus, quando ele é usado em favor do seu filho e da sua obra, cuidado, onde você tem usado a oferta do Senhor. O servo, sabe que a sua oferta e para o crescimento do reino, de Deus  aqui na terra. Este evangelho precisa avançar mais. Você tem colaborado para isso, não! Entre em contado conosco, visita-nos. Nosso endereço está logo abaixo.

Como vencer a tentação do adultério

  • PDF

1- Cuidado com o excesso de autoconfiança. Nunca diga: "Comigo isso nunca vai acontecer". A autoconfiança foi a causa do fracasso de Pedro diante da tentação de negar a Jesus (Mt 26.33,34). Consciente de que ninguém está livre dessa possibilidade, devemos orar sempre: "Senhor, nunca deixe faltar temor em nosso coração e ensina-nos a viver com sabedoria e prudência".

2- Nunca brinque na "Zona de Perigo". A queda de Sansão é a história de um homem que brincou de flertar com o pecado (Jz 16.1-31). Jesus disse aos seus discípulos: "...a carne é fraca" (Mt 26.41). Todas as pessoas que cederam à tentação e praticaram o adultério cometeram o mesmo erro de Sansão, ou seja, brincaram onde e com quem não deviam brincar. Se a "carne" é fraca, todo cuidado é pouco.

3- Sempre preste conta ao cônjuge. A Bíblia diz: "Confessai as vossas culpas uns aos outros; e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos" (Tg 5.16). É necessário que o(angel) companheiro(angel) saiba o que está acontecendo na vida do outro. Uma vida não supervisionada não é vivida com responsabilidade. Todos nós precisamos viver conscientes de que temos que responder a alguém sobre os nossos atos.

4- Peça ajuda quando perceber algum sinal de perigo rodeando. O casal precisa construir uma relação com base na verdade (Pv 10.9) para que quando vier a tentação um tenha confiança no outro para abrir o coração, buscando ajuda. Há situações na vida em é impossível vencer sozinho. Quando o cônjuge procura ser um agente de cura para o companheiro, o resultado final é a vitória sobre a tentação de pecar.

5- Cultive o seu casamento como se faz com um jardim. Não se pode negligenciar o casamento e esperar que ele por si só floresça e frutifique. Invista no seu relacionamento conjugal, dê a atenção necessária. Jamais descuide das barreiras de proteção que devem estar em torno do seu casamento. 
Não confie no cônjuge ao ponto de achar que ele(angel) está imune ao pecado do adultério. A sua confiança no cônjuge deve ser inteligente, equilibrada e sensata. Confiar não significa ver o outro como um "anjo incapaz de pecar" só porque ele(angel) é uma pessoa seriamente comprometida com Deus. Por mais que o seu cônjuge seja sério e espiritual, ajude-o(angel) a não pecar.

6- Selecione sua amizades - Já aconselhei casais que caíram em pecado porque não foram criteriosos em relação a quem deveriam receber como "amigos" dentro de casa ou até mesmo porque não foram cuidadosos com quem eles se relacionavam. Quem ama não tem ciúmes doentios, mas sabe cuidar, protegendo muito bem a pessoa amada. A esposa deve ajudar o marido a enxergar o que muitas vezes ele não percebe e que, no futuro, pode se tornar um grande problema. E o marido deve fazer o mesmo.

7- Ao perceber qualquer comportamento estranho do cônjuge, não tenha medo de confrontá-lo. A verdade não tem medo da luz. Pessoas responsáveis respondem perguntas difíceis sobre os seus atos. A confrontação quase sempre provoca tensão, mas é o melhor caminho para livrar o outro de um tropeço moral, que via de regra torna-se fatal no relacionamento. Quantos casamentos teriam sido salvos se o cônjuge tivesse confrontado o outro na busca de livrá-lo do pior!? Infelizmente, na maioria das vezes em que ocorre um adultério, só depois que tudo vem à tona é que o cônjuge diz: "Bem que eu notei, vi, percebi, desconfiei... Mas não tive coragem de perguntar, de ir atrás, de buscar a verdade." Lembre-se: É sempre mais fácil vencer a tentação quando o processo está no início.

8- Cuidado com a internet. De todos os avanços tecnológicos, a internet é uma das mais impressionantes invenções do homem. A internet foi um fator determinante para a globalização, pois tudo passa por essa rede virtual fantástica. Porém, quando esse meio de comunicação é usado para o mal, o prejuízo é tão grande ou maior quanto os benefícios que ela proporciona. O número de crianças, adolescentes, jovens e casais que estão se perdendo a partir do facebook, das salas de bate-papo, dos recados através de msn´s e de outras janelas virtuais é assustador. Quando se trata de internet, é preciso tomar muito cuidado para não usar de forma errada esse instrumento tão poderoso. O melhor lugar para se ter um computador em casa é na sala ou em uma espaço onde o marido supervisiona a esposa e vice-versa. Conheci um homem casado que, não conseguindo vencer a tentação de visitar páginas impróprias na internet, decidiu falar sobre isso com a sua esposa. Os dois acabaram tomando uma atitude radical: sempre que ele precisasse, ela iria acessar a internet junto com ele, pois assim a esposa, que não tinha esse problema, poderia ajudá-lo a vencer a tentação de conviver com aquilo que poderia destruir o casamento deles. A Bíblia diz que é melhor serem dois do que um, e o cordão de três dobras não se quebra com facilidade (Ec 4). Foi por isso que Jesus disse, vigiai e orai...

Fé e Obras

  • PDF

A fé sem obras é morta para nada se aproveita. Thiago em sua epístola no capitulo 2 V.14 diz: Meus irmãos qual é o proveito se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo? E no V.15: E, se o irmão ou a irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento.
Esse assunto é desafio para a igreja já há muito tempo, pois ele diz a respeito da fé e das obras. Tiago insiste na necessidade de viver a palavra e mostra, então, dois tipos de fé. Uma, inútil, é a de quem não vive a palavra e a outra, de quem a vive, é a fé útil.
Vai buscar dois vultos do velho testamento para exemplificar Abraão e Raabe. Em Romanos 4:1-3 Paulo deixa bem claro que Abraão foi justificado pela fé. Para Tiago, a justificação de Abraão foi pelo que ele fez quando se dispôs a oferecer seu filho Isaque. Para Paulo, ele foi justificado porque creu em Deus. Como é possível entender essa aparente discordância?
Uma das regras de interpretação da bíblia nos ensina que é necessário saber o propósito do autor do texto estudado, o que se propunha a dizer e para quem dizia. Paulo é um teólogo. Sua carta à igreja em Roma é um tratado teológico onde se discute o que é necessário para a salvação. Tiago é um pastor que elabora um tratado ético. Sua discussão é saber o comportamento dos crentes, como estes devem proceder, postos que são salvos. Mas que o tempo não demonstra pelas obras, nenhuma evidência de devoção sincera a Deus e a sua palavra. Jesus disse que o amor é a essência da lei moral. Igreja no Greco significa: EKKLESIA os chamados, para fora, é a assembleia pública, infelizmente o ensino da palavra EKKLESIA, passou a ser ensinado como sendo os chamados de fora para dentro, mais o significado é de dentro para fora, e a igreja esta deixando de cumpri a sua missão, quando ela não sai das quatros paredes. A missão da igreja é: Espiritual e social. Fé sem obras é mota, e a igreja que não ajuda primeiramente os da própria fé, em suas necessidades materiais, igreja que abandona os seus obreiros, as viúvas as mães solteiras não são apoiadas. A nossa visão com respeito aos nossos irmãos, não pode ser a de Caim. Acaso sou eu tutor de meu irmão? A Igreja é responsável por seu próximo, isso é claramente ensinado nas escrituras, seja espiritual e também social, não só os domésticos da fé, mas também os de fora.
··... Amar o próximo como a si mesmo. MT 22. 39.
Irmãos, celebramos o Nascimento de Jesus. Celebremos com alegria a vinda de nosso Salvador, Jesus, nossa redenção. Por isso, preparemos nosso espírito, casas e comunidades nossa própria Igreja para reflexão e ação concreta do Amor de Deus, pois a melhor mensagem de Natal que podemos receber é a presença de Jesus em comunhão com nossa própria vida. O próprio Deus já nos deu vida pelo Nascimento de Jesus. Ele curou os enfermos, ressuscitou os mortos, expulsou o maligno, iniciou uma nova vida na humanidade; Ele veio nos dar uma vida em abundância; veio promover as pessoas, e acabar com a injustiça, a miséria e a fome, isto é Natal, a presença de Deus e de seu Reino no mundo dos homens. Que nossas famílias e comunidade tenham um Feliz Natal e um Ano Novo Prospero. A fé sem obra é morta.
Deus vós abençoe.

Pastor Marcos Tadeu.

Cumprindo o chamado

  • PDF

Neste estudo, vamos contar um pouco da história do profeta Isaías. Ele é um profeta com quem me identifico muito, pois sempre trazia uma mensagem de esperança ao povo de Israel. Começaremos pelo capítulo seis do livro de Isaías, dos versículos um a três, que dizem: “No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi também ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e a cauda do seu manto enchia o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam. E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda terra está cheia da sua glória”.

Estudando um pouco sobre a história de Isaías, descobri que seu chamado ministerial foi completamente transformado após a morte do rei Uzias. Esse rei foi muito admirado e querido pelas obras e trabalhos que realizou, porém, no meio da caminhada deixou seu coração se envaidecer e ensoberbecer. Sabemos, como diz a Palavra de Deus, que o orgulho precede a queda. E a soberba afetou o reinado de Uzias e abreviou seus dias de vida aqui na terra.

O que mais chama atenção nesse texto, é o fato de Isaías ter visto o trono do Senhor somente após a morte de quem ele mais admirava. Isso nos leva a perceber muitas coisas em relação ao nosso cotidiano como verdadeiros adoradores e profetas para esta geração. Talvez, dentro do nosso coração existam muitos “reizinhos” que nos impedem de enxergar com olhos espirituais o trono do Senhor. Ter um encontro com o trono e com a glória do Senhor faz toda diferença em nossa vida ministerial. Na verdade não somente na ministerial, faz diferença em todas as áreas da nossa vida.

Mais adiante, no mesmo capítulo, o profeta declara nos versículos cinco a sete: “ Então disse eu: Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos. Porém um dos serafins voou para mim, trazendo na sua mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; E com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; tua iniquidade foi tirada, e expiado o teu pecado”. Aqui, Isaías mostrou o temor que ele tinha de estar diante do trono do Senhor, confessou sua debilidade e fraqueza e o Senhor o perdoou de toda imundícia e iniquidade.

Muitos de nós não temos tanta ousadia ou a coragem de confessarmos diante do trono do Senhor quem verdadeiramente somos e o que fazemos de mau como Isaías fez. Mas vimos que depois dessa atitude Isaías se disponibilizou e se prontificou para viver intensamente o chamado de Deus aqui na terra. O profeta Isaías é um exemplo para nós. Primeiro, devemos fazer com que os “reizinhos” da nossa vida morram. Em seguida, devemos confessar quem somos diante do Senhor e também temos que nos disponibilizar para o chamado que Ele nos dedicou.

Quando for impossível, ouça a voz do coração.

  • PDF

Certo rei em função do aniversário do seu reinado resolveu fazer uma grande festa. Todos do reino foram convidados, e a prova que mais exigia de todos era a “escalada do poste”. Era um poste muito alto, em cujo topo estava o prêmio: uma cesta cheia de comida e ouro. Aquele corajoso homem que conseguisse escalar até o alto do gigantesco poste, poderia se deliciar com a comida e pegar todo o ouro. Milhares de pessoas compareceram ao evento, vindas de todos os cantos do reino, e no dia, várias se inscreveram para a prova. O primeiro a participar foi um rapaz alto e forte. Ele tomou uma curta distância, e muito negligentemente, começou a subir no poste, não chegando nem a metade. Enquanto descia começou a reclamar contra o rei...

- Este rei está louco – dizia. – Ele colocou o prêmio bem alto justamente para que ninguém consiga apanhá-lo; ele está zombando da gente, continuou o rapaz. E tem mais, se todos deixarem de tentar, o rei será obrigado a diminuir a altura do poste – vamos desistir, continuou o jovem.

Alguns participantes ficaram tão decepcionados com o rei que estavam indo embora com a cabeça baixa e chorando. Outros falavam  palavras de desapontamento contra o rei. Foi nesse momento que apareceu um garoto magrinho...  Que tomando distância aproveitou a confusão gerada, e, correndo em disparada, subiu no poste. Na primeira tentativa ele não teve sucesso. Quanto se preparava para a segunda tentativa as pessoas gritavam: desista, desista, você não vai conseguir!

Mesmo assim, o garoto se afastou e, com mais confiança ainda tomou distância e num esforço gigantesco escalou o poste totalmente, chegando lá em cima e apanhou o prêmio, todos ficaram espantados. Uns aplaudiam outros comentavam sobre o desempenho do garoto, que agora se deliciava com o premio e o ouro. Um homem totalmente surpreso pelo fato do garoto ter conseguido algo tão inusitado, foi perguntar ao pai do garoto: como ele conseguiu fazer isso que parecia tão difícil? O pai então respondeu: meu filho conseguiu porque ele é surdo, e não ouviu ninguém dizer que era impossível escalar o poste.

Essa é uma linda história, mas, nos da uma grande lição de vida, a bíblia nos ensina “a trazer a memória aquilo que nos dá  esperança.” Lm 3.21. Ouvimos tantas palavras de derrota e fracasso que às vezes não temos força para continuar na caminhada, geralmente nos esquecemos das palavras de Deus “...esforça-te e tem muito bom animo...” Js. 1.9. É no sincero desejo que você continue desafiando os pessimistas e transpondo os seus limites. Que dedico esse artigo a todos os príncipes e princesas de coração ardente.

A base de um relacionamento saudável.

  • PDF

Já faz alguns anos, conversando com um amigo pastor e psicólogo, ele me disse que um relacionamento só poderia dar certo se estivesse baseado em três sentimentos. Imaginei logicamente que o primeiro seria o amor e os outros sentimentos nem teriam tanta importância. Mas, para a minha surpresa, ele citou os três e o amor ficou de fora. Confesso que levei muito tempo pensando sobre isso e também pra saber se concordava com ele ou não. Afinal, ele tinha dito com todas as letras que a base para o amor verdadeiro é: Confiança, Admiração e Respeito. Confesso que depois de muito tempo compreendi que, na verdade, aquela afirmação deste psicólogo amigo estava realmente correta, ou seja, não é possível sentir e principalmente manter-se sentindo amor por uma pessoa caso não confiemos nela, não a admiremos e nem a respeitemos!

 Na verdade, infelizmente, existem muitas pessoas que acreditam estar vivendo o amor, quando na verdade estão alimentando algum outro tipo de sentimento muito aquém do amor verdadeiro, um sentimento nocivo que costuma ser normalmente confundido com o amor, mas que costumo chamar de co-dependência. Pessoas que são dominadas por este estranho sentimento normalmente se sentem tristes, desesperadas, perdidas, angustiadas e insistem em justificar todo esse pavor através da palavra amor... Sentem-se rejeitadas, desmerecidas e enganadas e, ainda assim, acreditam que amam...

 Mas, graças a Deus que existe um meio de se descobrir se estamos dominados pelo amor ou pela co-dependência e o teste é muito simples; basta encontrarmos a resposta para essas três perguntas abaixo:

Pense na pessoa que você acredita que ama e no relacionamento que vem mantendo com ela e tente responder com a maior sinceridade:

1 – você admira essa pessoa? Admira o jeito dela, o caráter, a personalidade, a maneira como ela encara a vida, as atitudes dela diante dos problemas, diante das alegrias, enfim, você admira a alma dessa pessoa?

2 – você confia nessa pessoa? Você acredita que pode contar com ela, pode confiar no que ela diz? Está certo de que ela faz o possível para cumprir o que promete e está disposta a construir com você uma relação baseada na sinceridade e na verdade, por mais difícil que isso possa parecer?

3 – você respeita essa pessoa? Considera o que ela pensa, o que ela sente e está disposto a aceitá-la, por mais diferente que ela possa ser de você? Você realmente consegue dar espaço para que ela seja como é, sem tentar o tempo todo fazer com que ela mude o seu jeito, as suas opiniões e o seu comportamento?

Se você responder essas três perguntas de forma inteiramente sincera, talvez você se surpreenda com suas próprias respostas. Pode ser que você descubra que o que sente não é amor, mas capricho, falta de auto-estima, medo de ficar sozinho, conveniência, acomodação... E tudo isso não é manifestação do amor verdadeiro, mas sim, de co-dependência. Você sabia disso? Já pensou mais seriamente sobre isso? Talvez você descubra que se acostumou com uma relação desgastante e cheia de desentendimentos, mas que nunca se questionou sobre o que você realmente quer.

Como advogado tenho encontrado vários casais que chegam ao divórcio depois de mais de trinta anos de relacionamento com alguém. E quando falo sobre esta base de um relacionamento saudável, eles sempre me dizem que nunca pensaram sobre isso antes.

Existem muitas pessoas que preferem acreditar que não têm sorte no amor ou que é preferível ficar numa relação ruim do que ficarem sozinhas, mas na verdade estão apenas com medo de tentar, com medo de sair em busca de um amor verdadeiro, com medo de se livrar de uma pessoa que só lhes faz mal e perder o lugar de vítima, pois esta, por mais incrível que pareça, é uma posição mais cômoda e confortável para muitas pessoas!

É reconhecer que realmente é muito mais fácil ter argumentos para justificar um amor que não deu certo do que se arriscar a encontrar uma pessoa maravilhosa, companheira, sincera e profunda e ter de lidar com seus próprios defeitos, com suas próprias inseguranças e culpas.

Se você é alguém que se encontra hoje nestas condições, comece o ano de forma diferente. Ser feliz é bom mas é preciso ter coragem de enfrentar verdades e realidades novas. Aprenda a exigir o melhor de você mesmo e da outra pessoa. Procure observar se o seu relacionamento está realmente baseado na confiança, admiração e respeito.

Nunca se esqueça de que esta é a base de um relacionamento saudável onde você precisa sentir por você e pela pessoa amada, confiança, admiração e respeito e a pessoa amada também precisa sentir o mesmo por você. Se não for assim, seu relacionamento será como um barco com dois remos mas que somente um funciona e, dessa forma, o “barco” da sua vida nunca conseguirá seguir pra rumo nenhum pois ficará eternamente andando em círculos pelo fato de sempre remar de um lado só.

Aprenda, com a ajuda de Deus de que ignorar ou criticar essa verdade não vai te levar a lugar nenhum. Se quiser realmente que este ano seja diferente, tenha atitudes diferentes começando por este ponto da sua vida pessoal.

Deus tem o desejo de te conceder neste ano, trezentos e sessenta e cinco novas oportunidades de reescrever a sua vida de forma diferente. E a pergunta que fica é: Você está realmente disposto a pelo menos refletir sobre isso? Que Deus te ajude com esta pequena reflexão, pois sempre há tempo, mas não demore muito, de preferência, comece agora!!!

Pastor Adilson Batista Amelio

Email: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Castração Em Cadelas

  • PDF

Verdades e mentiras sobre a histerectomia

As cadelas apresentam o seu primeiro cio com aproximadamente 8 meses de idade e a partir daí começam a sofrer interferência hormonal.

Cadelas castradas antes do primeiro cio têm aproximadamente 98% de probabilidade de nunca apresentarem câncer de mama.

Quanto mais cio essas cadelas apresentarem a probabilidade de câncer de mama vai aumentando, por exemplo: cadelas castradas após o primeiro cio têm 90% de chances de não apresentarem câncer de mama, a partir do segundo cio essa estatística cai para 85% e assim sucessivamente até o quinto cio aonde não faz diferença na estatística de câncer de mama, entre uma cadela castrada ou não, porém a castração se faz necessária para prevenção de controle de natalidade e outras doenças como por exemplo a Piometra, câncer de útero, ovário etc.

Mentiras:
Cadelas que cruzam mais, não têm a menor probabilidade de ter câncer de mama. Ou seja, estatisticamente não existe diferença entre cadelas que chegam à idade adulta e apresentam câncer de mama e entre as que cruzam e amamentam e as que não cruzam.

Verdades:
60% das cadelas vão apresentar câncer de mama quando chegarem á terceira idade (a partir de 8 anos de idade). Por isso se você tem uma cadela e não vai usá-la para reprodução pense em castrá-la o mais cedo o possível para diminuir a probabilidade de câncer de mama e de doenças relacionadas ao aparelho reprodutor feminino, e além disso aumentar significantemente a idade média da sua cadela.

Gratidão

  • PDF

Bendiga o Senhor a minha alma! Não esqueça nenhuma de suas bênçãos!” Sl 103.2

Olá queridos leitores do Jornal Palavra de Vida! Chegamos à mais um final de ano, um ciclo se fecha para dar lugar à um novo momento de nossas vidas... 2015. Porém não vejo como sair deste ano de 2014 sem agradecer, principalmente à Deus e claro à nossa família, amigos, irmãos em Cristo que ao longo deste ano de 2014 fizeram parte de nossas vidas, momentos de alegria, mas também de tristeza, momentos de festa e momentos de luto, momentos de saúde, mas também momentos de enfermidades... Enfim foram dias de muitas dificuldades, desafios e superações, portanto, temos sim que agradecer.

Falar de agradecimento é falar de GRATIDÃO que é o tema para essa nossa edição de Dezembro de 2014. É certo que nós seres humanos temos uma tendência natural de pedir, mas não de agradecer como deveríamos. Mas se pararmos um pouquinho para lembramos da onde viemos, quem nós éramos e mesmo com toda a s dificuldades da vida, decepções e adversidades Deus têm nos abençoado de forma muito especial. Portanto quero através deste singelo artigo externar a minha gratidão meu Deus por TUDO como também à minha família como minha amada esposa, meu filho, meus pais, familiares, ovelhas, amigos e admiradores do nosso ministério que ao logo deste ano de 2014 foram bênçãos em nossas vidas.

O meu desejo e oração é que todos vocês neste ano de 2015 a sua vida seja repleta de bênçãos advinda do PAI Todo Poderoso e que a sua vida e de toda a sua família esteja no ALTAR DE DEUS e que assim sendo o nome de Deus seja glorificado em vossas vidas.

Encerro esta edição, tomado de lembranças maravilhosas de pessoas maravilhosas  que Deus me confiou para cuidar, apascentar, ajudar e me relacionar. Que Deus continue me usando à favor de todos que me cercam e até mesmo os de longe como a rádio, tv, rede sociais e claro vocês queridos amigos e leitores deste canal de comunicação tão relevante para o nosso Estado o nosso Jornal Palavra de Vida. Um forte abraço ao nosso diretor MÁRCIO LOURENÇO E A SUA ABENÇOADA FAMÍLIA.

Desejo um excelente final de ano e já declarando em nome de Jesus um ano novo de 2015 de muitas bênçãos vindo do nosso Pai Celestial, O poderoso Deus.

Atenciosamente, seu Pastor e Amigo Pastor Luciano Costa! Um grande abraço! Fiquem com Deus! Fiquem na Paz!

Mestres e discípulos

  • PDF

Não aprendemos sozinhos. Há sempre alguém para nos ensinar e, algumas vezes, não é pensando em nosso bem. Aprendemos com nossos pais, nossos avós, nossos parentes, nossos amigos. Nem todos estão preparados para nos ensinar a trilhar caminhos corretos.

Um rapaz me procurou e disse-me com raiva: “Não suporto nem meu pai nem minha mãe”. Surpreendi-me. Eu era um pouco mais velho do que ele, crescemos juntos. Seus pais eram gente comum, simples. O que me contou dos pais me deixou estarrecido. Ele me disse: “Meu avô é o meu pai. Todos os dias converso com ele. Serei homem como ele”.

Quem tem a responsabilidade de nos ensinar, em algumas circunstâncias, não está capacitado. Às vezes por ignorância, outras por ter um caráter distorcido.

Não podemos desconsiderar que há indivíduos com valores tortos e não veem nenhum problema em repassar esses maus hábitos àqueles que estão sob sua influência. Há irmãos mais velhos que enveredam por sendas tenebrosas e não se acanham em levar com eles seus irmãos menores. Os presídios têm vários casos assim.

A figura do mestre, do mentor, é fundamental para se construir uma vida bem alicerçada. Como é precioso ouvir bons conselhos. Vidas são salvas graças à intervenção de “bons anjos” que cruzam nosso caminho.

Outra história antiga de que me lembro, foi-me contada por uma amiga. Um rapaz, noivo, casamento marcado, interessou-se por uma menina. O irmão, amigo do rapaz, serviu de alcoviteiro e tentou convencer a menina a sair com o rapaz comprometido. A menina vacilou, mas conversou com sua professora da escola. A professora mostrou-lhe o rumo errado que tomaria se se deixasse convencer pelo rapaz e o irmão. Disse mais: “O rapaz não gosta de você e sabemos o que ele quer; mas mais perigoso é seu irmão que também não a estima e não consigo atinar com as intenções dele”. A menina ouviu a professora e, um ano depois, precisou sair de casa por causa da perseguição do irmão.

Não aprendemos sozinhos, mas além de nossos pais precisamos saber escolher aqueles a quem daremos ouvido. Discernir o bom professor, o bom amigo, o bom confidente é bem mais complexo do que podemos imaginar.

Na igreja temos um mestre: Jesus Cristo. Somos seus discípulos sem reserva. Podemos saber exatamente o que ele deseja para nossa vida esquadrinhando a Bíblia Sagrada. Muitos servos de Deus, a começar pelos pastores, dedicam-se a ensinar como saber a vontade de Deus para nossas vidas.

A igreja põe à sua disposição várias formas de aprender a conhecer a Bíblia: a Escola Dominical, os cultos, os Pequenos Grupos, as uniões de treinamento... Além das estruturas montadas pela igreja, há várias pessoas prontas para ensinar a desvendar os “segredos” da Bíblia.

Quer ser um discípulo de Jesus (o verdadeiro mestre)? Venha à PIB Recreio. Vamos nos sentir muito felizes em recebê-lo e orientá-lo.

Newsletters

Inscreva-se para receber
os nossos informativos!

Por favor, insira seu email abaixo.