1512Fri2017

Última atualização12:10:42 AM GMT

Voltar Gastronomia

Life and Style

Laranja, tangerina com limão

2 TABLETES DE MARGARINA ( 100 GRAMAS CADA)

4 GEMAS GRANDES

2 XÍCARAS DE AÇÚCAR  ( BATER BEM ESSES TRÊS INGREDIENTES)

ADICIONAR:

2 XÍCARAS DE FARINHA DE TRIGO

1 XÍCARA DE  AMIDO DE MILHO ( MAIZENA)

1 XÍCARA DE SUCO DE LARANJA    ( OU SUCO DE TANGERINA MISTURADO COM SUCO DE 1 LIMÃO)

1 COLHER DE SOPA DE FERMENTO

CLARAS EM NEVE POR ÚLTIMO (MISTURANDO DELICADAMENTE)

ASSAR EM TABULEIRO MÉDIO (FORNO MÉDIO POR 30 A 35 MINUTOS, DEPENDENDO DO FORNO)

SAINDO DO FORNO, AINDA QUENTE REGAR COM 1 XÍCARA DO SUCO DE LARANLA OU TANGERINA (SEM LIMÃO) ADOÇADO COM 4  COLHERES DE SOPA DE AÇÚCAR.


BOM APETITE!


Ervas aromáticas e especiarias

É muito importante conhecer algumas ervas e especiarias, e saber com que alimentos cada uma combina melhor, ressaltando o sabor do alimento e incrementando o seu paladar.

Manjericão ou Alfavaca
Erva fina de aroma marcante, o manjericão combina muito bem com tomate, berinjela, abobrinha, frango e vitela. Como o calor diminui o seu aroma, fica melhor se adicionado no final da receita.
Digestivo, sedativo, tónico, baixa a febre; é auxiliar no tratamento de infecções bacterianas e parasitas intestinais.
Uso: tomates, massas, berinjela, peixes de carne firme.

Louro
A folha de Louro é um dos componentes do Bouquet Garni. O Louro combina com sopas, peixe em geral, carnes, frango e terrines. Geralmente uma folha basta para aromatizar o prato.
Antioxidante, digestivo; estimula o apetite; é auxiliar no tratamento da gripe.
Uso: cozidos, assados, feijões, massas, caldos e carnes.

Cebolinha
Cortada em pequenas rodelas a cebolinha realça as saladas, os ovos e as omeletes, o queijo branco e os molhos. A cebolinha ajuda também na decoração de pratos. A cebolinha faz parte das ervas finas junto com salsa e estragão.
Antioxidante e digestiva.
Uso: pratos salgados.

Coentro
O coentro é uma das ervas mais usadas no nordeste brasileiro. Possui um perfume incomparável, refrescante e de sabor marcante. Combina muito bem com peixe, frutos do mar, frango e legumes. Suas sementes são usadas para temperar marinadas.
Antioxidante, digestivo, auxiliar no tratamento da ansiedade, moderador de apetite.
Uso: peixes, frutos do mar, molhos, sopas, carnes, aves, pães.

Tomilho
Muito apreciado nas cozinhas européias, o tomilho é um elemento importante do Bouquet Garni. O seu perfume lembra a "Provence", região da França onde é muito encontrado. Combina muito bem com sopas, molhos de tomate, legumes em geral, carnes vermelhas e terrine.
Digestivo, desinfetante, anti-séptico; é expectorante, limpa as vias respiratórias e o intestino.
Uso: sopas, aves, peixes, carnes, saladas, molhos, preparações a base de tomate.

Dill
Com o sabor voltado para o anis, ele combina muito bem com peixes em geral, omeletes, batatas, saladas verdes e creme de leite fresco. Suas sementes são usadas para temperar vinagres, marinadas e pepinos em conserva.

Erva Doce
As folhas da Erva Doce combinam muito bem com peixes grelhados ou cozidos em papelote. Este tempero fica delicioso servido com grande variedade de carnes como frango, vitela e outras. O seu aroma doce, como o anis, tempera muito bem saladas, molhos e o creme fresco.
Combate tontura, náuseas, infecções intestinais e estomacais.
Uso: A base da haste é usada como legume. As folhas podem ser servidas em saladas ou guarnecendo outras preparações.

Manjerona
Considerada indispensável na cozinha mediterrânea, a manjerona combina com carnes, tomates, batata e arroz. Muito parecida com o orégano, a manjerona tem um aroma mais fino do que o seu concorrente, associando-se mais facilmente a outras ervas.

Menta
A menta é muito usada na Europa para temperar o cordeiro, ervilha e batatas. Em outras regiões é usada em saladas, em sorbet, em chás ou simplesmente misturado com queijo de cabra e pepino, como fazem na Grécia.

Oregãos
Indispensável no preparo de pizzas, o orégano é o companheiro perfeito do tomate, do pimentão, da berinjela, da abobrinha e das massas. Também combina muito bem com carnes brancas, como a vitela e o peito de frango.
Digestivo, antioxidante, antibacteriano, antibiótico, analgésico, sedativo; auxiliar no tratamento de gripes, resfriados e cólicas menstruais.
Uso: molhos italianos, de tomate, ensopados, massas, sopas e espetinhos (de carneiro e porco).

Salsa
Conhecida como salsinha, a salsa além de ser decorativa acrescenta cor e sabor às omeletes, saladas, molhos, purês de batatas, patês e sopas. São encontradas duas variedades da salsa. A salsa crespa, mais decorativa e em forma de buquê, e, a mais comum, a lisa, que é mais aromática e suporta melhor o cozimento.
Favorece o equilíbrio hormonal; é fonte rica em betacaroteno (pré vitamina A) e Vitaminas do Complexo B; alivia os sintomas da bronquite, asma, cólicas menstruais e cistite; é auxiliar no tratamento de cálculos renais e cólicas.
Uso: molhos, patês, saladas, legumes, peixes, omeletes, sopas e guisados.

Alecrim
É certamente uma das ervas mais perfumadas, seu aroma se associa muito bem com cordeiro, porco, frango, vitela e fígado. Quando usado fresco, pode servir de decoração.

Sálvia
A Sálvia serve para perfumar as carnes, principalmente a carne de porco, coelho e vitela. Seu sabor, ligeiramente amargo, combina com legumes secos, queijos e linguiças. Vai muito bem com carnes grelhadas e molhos.
Digestiva, antioxidante; auxiliar no tratamento de problemas de fígado, suor excessivo, ansiedade, depressão e sintomas da menopausa.
Uso: carne de boi e porco, peixes firmes, ovos, queijos e saladas.

Estragão
Usado no preparo de molhos, pratos com ovos, frango, saladas e sopas. O estragão tem um gosto picante que ajuda a realçar alimentos sem muito sabor. Muito usado no preparo de vinagres de vinhos brancos.
Estimulante de apetite; alivia reumatismo e artrite, regulariza a menstruação, diurético.
Uso: saladas, sopas, assados de forno, peixes, carnes, aves e molhos.

Cravo
Tem sabor doce e pungente, quase quente. Recomendado para arroz doce, pão de mel, pudins, compotas de frutas e pratos asiáticos, especialmente indianos.

Cardamomo
Perfumado e de sabor refrescante, Antioxidante, estimulante e digestivo.
Uso: pode ser usado no preparo de pães, pratos com frutas, batatas e batata-doce, pratos indianos, tortas e bolos escandinavos, carne de carneiro e porco, fígado, peixes e sopas, arroz, bolachas, licores, café, conservas de arenque e saladas de frutas.

Açafrão
Antioxidante, antiinflamatório, é auxiliar no tratamento da prisão de ventre.
Uso: arroz, sopas, saladas, carnes, pães.

Alcarávia
Digestivo, estimulante.
Uso: pães, batatas, cogumelos, pato, ganso, sopas, recheios e vegetais.

Aipo ou Salsão
Digestivo, indicado para flatulência (gases), diurético.
Uso: sopas, minestrone e salpicão.

Alecrim
Digestivo, antioxidante, estimulante, ativador da circulação sangüínea, antidepressivo e anti-séptico.
Uso: carnes e massas

Alho
Antioxidante e digestivo; melhora a circulação sanguínea e purifica o sangue.
Uso: carnes, aves, molhos em geral e refogados.

Baunilha
Estimulante, afrodisíaca e digestiva.
Uso: perfumar bolos, doces, cremes, mingaus, bebidas e licores.

Canela
Digestiva e antioxidante; ajuda a prevenir osteoporose, a controlar a pressão sanguínea e a aliviar sintomas da menopausa.
Uso: compotas, infusões, marinados, picles e ensopados (em casca) e bolos, pães, biscoitos, mingaus e doces (em pó).

Cominho
Diurético, auxiliar no tratamento de gases.
Uso: molhos, cremes, peixes, carnes, assados, legumes, ovos, sopas e pães. É essencial no curry.

Cravo-da-índia
Ajuda a aliviar sintomas da menopausa, a proteger contra aterosclerose e diminuir os níveis de colesterol.
Uso: doces, pães, marinados, assados de porco, molhos e chutney.

Curry
É feito com até 65 tipos de especiarias diferentes. Estimulante e digestivo.
Uso: culinária indiana, arroz.

Gengibre
Antioxidante; ajuda a tratar enjôos, combater infecções, prevenir doenças cardiovasculares; é auxiliar no emagrecimento.
Uso: cru como acompanhamento, picles, molhos, doces, bolos, pães, saladas e carnes de porco.

Hortelã
Estimulante, digestiva. No Recife, o pó da folha é usado para combater parasitas intestinais (ameba e giárdia) em crianças.
Uso: chás, sucos, saladas, molhos para carnes e massas, pratos da cozinha do médio oriente.

Mostarda
Antioxidante.
Uso: conservas, pães, assados, picles e marinados (em grão) e carne de porco, embutidos, peixes e maionese (em pó ou pasta).

Noz moscada
Afrodisíaca, é usada para problemas hepáticos.
Uso: doces, molhos e massas. Deve ser ralada somente na hora do uso e necessita de pequena quantidade para dar seu aroma.

Páprica
Estimulantes e digestivas.
Uso: pode ser usada no lugar da pimenta seca.

Papoula
Digestiva.
Uso: bolos, pães, tortas, doces e molhos.

Pimentas
Antioxidantes; purifica o sangue, auxilia na prevenção de doenças do coração, no tratamento da obesidade, nas dores reumáticas (compressas locais).
Uso: pratos salgados.

Comida orgânica, já provou?

Se o que você busca são alimentos saudáveis, de elevado valor nutritivo e livres de resíduos tóxicos, encha o prato com produtos orgânicos!

Eles são produzidos em total harmonia com a natureza, pois são o resultado de um sistema de produção agrícola que busca trabalhar de forma equilibrada o solo e os recursos naturais - água, plantas, animais, insetos, rotatividade do solo, etc.



Conhecidos por não terem resíduos de agrotóxicos, fertilizantes sintéticos, reguladores de crescimento e aditivos para a alimentação animal, os alimentos orgânicos vêm ganhando espaço importante no mercado brasileiro.

Existem estudos nesta área há mais de 70 anos, mas só agora nós vemos com maior freqüência estes alimentos nas prateleiras dos supermercados, isso sem falar nas vendas pela internet - direto do produtor.

Qual a diferença?

Existem pesquisas que apontam que alimentos orgânicos são mais nutritivos, mas a principal vantagem é que eles são livres de resíduos de agrotóxicos, que podem causar sérios danos à saúde, o que já está comprovado. Além disso, por receberem uma adubação equilibrada, não apresentam excesso de nitratos, que também podem ser cancerígenos." afirma Juliana Ortega Smith, do Grupo de Agricultura Amaranthus da ESALQ/ USP.

Há um preconceito de que estes alimentos são menores, menos viçosos, mas isto independe de serem orgânicos. O manuseio está muito mais relacionado à esta aparência, fazendo-se um manejo correto da produção eles podem ficar tão ou mais vistosos que os convencionais. " O problema é que assim o consumidor não acredita" comenta Juliana, influenciando bastante até mesmo na hora da comercialização.

Ela também explica que os produtos convencionais, geralmente são maiores, porque têm mais água, ou seja, adubação com fertilizantes muito solúveis, provocando um maior acúmulo de água. Isto, aliado a uma nutrição e microvida também menosprezadas acaba fazendo com que tenham teores menores de nutrientes e vitaminas, além de menos sabor.

Frutas, verduras, legumes e até açúcar são produzidos organicamente. No Brasil, o produto cultivado em maior escala é a soja. Mas a facilidade de produção depende muito do clima e da região em que se planta. No setor de orgânicos, o Brasil é o sétimo produtor mundial e apresenta um crescimento de 10% ao ano.

Todos estes produtos são devidamente regulados e controlados para que possam chegar ao consumidor com estas características. Existem empresas especializadas que dão esta certificação, que estão abaixo do Ministério da Agriculiura e no caso das exportações dentro das normas regidas pela IFOAM - International Federation of Organic Agriculture Movements. Portanto, na hora de comprar procure o selinho atestando que é um produto orgânico.

O custo elevado dos produtos orgânicos é uma desvantagem, já que os produtores gastam muito com a regularização e registro dos produtos. Isso acontece especialmente com alimentos mais difíceis de serem produzidos com estes métodos, como morango, tomate e batata. Mas vale a pena pagar um poquinho a mais, incentivar este tipo de cultivo e trazer para casa uma comidinha mais saudável.

Como é o cultivo?

O equilíbrio é o ponto chave desta produção. Deve haver uma harmonia entre o produto cultivado, o solo, o clima da região, o ecossistema e no final um casamento de qualidade e sabor em nosso prato. Para que isto aconteça numa sintonia perfeita alguns cuidados devem ser tomados:

  • O controle de ervas invasoras, pragas e doenças é feito através de controle biológico, com solarização, criação e soltura de inimigos naturais, armadilhas e agrotóxicos naturais.


  • A base para o sucesso do sistema orgânico é um solo sadio, bem estruturado, fértil (macro e micronutrientes disponíveis às plantas em quantidades equilibradas), com bom teor de húmus, água e ar e boa atividade biológica, pois é o solo e não o adubo que deve nutrir a planta. O solo deve estar sempre coberto para evitar erosão.


  • No sistema de produção orgânica utilizam-se o cultivo múltiplo e a rotação de culturas, pois isso torna a cultura menos suscetível a pragas e dificulta o aparecimento de plantas invasoras, devido à diversidade dos organismos do agroecossistema.


  • Deve-se utilizar de forma adequada máquinas e implementos agrícolas para não danificar a estrutura do solo. A integração da agricultura com a criação animal na propriedade é de extrema importância, pois o esterco pode ser transformado em composto, muito importante para a agricultura orgânica.


  • Tomando todos estes cuidados e produzindo com tanta atenção o resultado só poderia ser um alimento melhor e mais saudável para encher o prato!

    Onde encontrar?

    Atualmente os alimentos orgânicos são encontrados nas grandes redes de supermercados, nas lojas especializadas e nas feiras de diversas cidades brasileiras e na internet. Comprando direto do produtor, geralmente o produto vem mais fresquinho e é mais barato. Experimente!



    Por: Roberta Stella (Nutricionista formada pela Universidade de São Paulo - USP)

    Torta salgada de frango

    Ingredientes:

    1 pacote e meio de pão de forma sem cascas

    1 peito de frango

    1 cebola média picada

    2 dentes de alhos amassados

    2 tomates sem pele e sem sementes picados

    ½ pimentão pequeno

    3 colheres ( de  sopa)  de  azeite

    Sal  e cheiro verde a gosto

    5 batatas médias cozidas e amassadas

    1 vidro pequeno de maionese

    ½  lata Milho verde

    1 cenoura ralada

    Azeitonas fatiadas (a gosto)

    150g de presunto picado

    Ovos de codorna cozidos e batata palha para enfeitar

    Modo de preparo:

    Refogue a cebola e o alho no azeite, adicione o frango e doure um pouco.

    Adicione o sal,  o tomate, o pimentão, e o cheiro verde, deixe cozinhar um pouco e desfie.

    Reserve uma pequena porção do milho, da cenoura, das azeitonas e do presunto para enfeitar. E o restante acrescente ao frango

    Obs: O recheio deve ser um pouco molhado e não seco

    Em um refratário grande e alto, coloque uma camada de pão de forma,  espalhe um pouco de maionese e a metade do recheio do frango . Repita este processo até finalizar com a terceira camada de pão de forma.

    Misture as batatas amassadas com a restante da maionese e espalhe sobre a torta . em seguida enfeite com o milho, a cenoura, as azeitonas, o presunto, os ovos de codorna e a batata palha.


    Bom apetite!

    Especiarias do Brasil

    Um dos temas mais recorrentes das aulas de história é o comércio de especiarias entre a Europa e o Oriente, não é mesmo? Desde que entramos na quinta série, ouvimos nossos professores comentarem sobre a busca de produtos como cravo, canela, pimenta e plantas, que eram encontrados especialmente na Índia, e faziam o maior sucesso na Europa.


    Especiarias

    Mas o que é pouco falado nesta história é que a Amazônia também foi, no século XVII, uma grande fornecedora de especiarias para a Europa.

    A única diferença é que as especiarias do Brasil eram chamadas de ‘drogas do sertão’. A lista de produtos retirados da Amazônia naquele período era imensa. Nela havia madeira, raízes, frutos e até mesmo cipó.

    O comércio de especiarias da Amazônia se tornou bastante volumoso justamente no momento em que o comércio com o Oriente entrou em crise. Desde o começo do século XVII, quando Portugal perdeu vários pontos comerciais no Oriente, a Amazônia brasileira se tornou a grande fornecedora de especiarias para os portugueses.

     

    Mercado Ver-o-Peso em Belém do Pará

    O trabalho de coleta das famosas drogas do sertão era realizado especialmente por indígenas escravizados ou indígenas cristianizados, já adaptados à cultura dos europeus.

    Apenas para se ter uma idéia, entre 1700 e 1702, mais de 200 canoas foram ao interior da Amazônia em busca das tais drogas do sertão.

    Mesmo com o fim definitivo da escravidão indígena no século XVIII, o comércio de produtos amazônicos nunca deixou de existir. Ainda hoje ele é muito forte e movimenta a economia local.



    Pavê de Chocolate Branco

    O que fazer com as sobras de chocolates da Páscoa?

    Pavê de Chocolate Branco

    Ingredientes:
    1 lata de leite condensado
    3 latas de leite (use a mesma medida do leite condensado)
    ½ xícara de chá de amido de milho
    400g de chocolate branco ralado no ralo grosso
    1 lata de creme de leite sem soro
    2 pacotes de biscoito do tipo champanhe

    Modo de preparo:

    Dissolva o amido de milho em duas latas de leite. Junte o leite condensado e leve ao fogo, mexendo sempre até engrossar. Retire do fogo e acrescente metade do chocolate ralado.  Mexa bem até o chocolate derreter e se misturar ao creme. Espere esfriar  e adicione o creme de leite. Reserve. Umedeça os biscoitos no leite restante. Com metade dos biscoitos, forre o fundo de um refratário grande. Despeje metade do creme reservado e faça uma nova camada de biscoitos. Espalhe o creme restante e decore com o chocolate ralado que sobrou.

    Leve a geladeira por 4 horas e sirva bem gelado

    Bom Apetite!

    Obs : Esta mesma receita pode ser feita com chocolate preto


    Hambúrguer saudável!

    INGREDIENTES:

    500g de carne moída (patinho)
    2 dentes de alho amassado
    Sal  e pimenta a gosto
    ½ xícara de chá de cheiro verde picado
    1 ovo
    2 colheres de sopa de farinha de rosca

    RECHEIO:

    150G de mussarela

    MODO DE PREPARO:

    Junte os ingredientes numa tigela e amasse bem.
    Faça duas bolas no tamanho de um limão e aperte-as  com as mãos, coloque a mussarela no meio e cubra com outra parte de carne.
    Com a ponta dos dedos aperte bem para unir as bordas. Faça o mesmo com o restante da massa
    Depois é só fritar e servir.

    Sugestão:  Se você preferir hambúrguer de frango, substitua a carne por 1 kg de peito de frango moído. E o alho, o sal e a pimenta por um envelope de creme de cebola, junte os demais ingredientes e bom apetite!


    Luciana Lourenço


    Manjar com calda de goiaba

    MANJAR COM CALDA DE GOIABA

    Ingredientes:

    1 lata de leite condensado

    2 xícaras de chá de leite

    1 vidro pequeno de leite de coco

    4 colheres de sopa de amido de milho

    250g de goiabada cascão

    Aproximadamente 1 xícara  de chá de água

    Modo de preparo:

    Misture em uma panela o leite condensado, o leite, leite de coco e o amido de milho.

    Leve ao fogo mexendo sempre até engrossar. Coloque em uma fôrma de pudim untada com margarina e deixe esfriar. Depois leve a geladeira

    Corte a goiabada cascão em cubos e leve ao fogo com a água, deixe ferver bem até dissolver.

    Desenforme o manjar e coloque a calda por cima.

    Bom apetite!

    Cachorro quente de forno

    Ingredientes Massa:

    4 ovos
    500 ml de leite
    2 xícaras de chá de farinha de trigo
    ¼ de xícara de chá de azeite
    ¼ de xícara de chá de óleo
    4 colheres de sopa de queijo ralado
    1 colher de sopa de amido de milho
    1 pitada de orégano
    1 colher de sopa de fermento em pó
    1 colher de chá de tempero em pó
    Sal  à gosto

    Recheio:

    1 colher de sopa de manteiga
    1 cebola ralada ou em tiras
    1 tomate picado em tiras
    ½ xícara de chá de Azeitonas picadas
    ½ xícara de molho de tomate
    Orégano
    500g de salsichas cozidas e fatiadas
    200g de muzzarela  ralada para polvilhar

    Modo de Preparo:

    Bata os ingredientes da massa no liquidificador, acrescentando o  fermento por último com a tecla  pulsar.
    Unte um refratário retangular médio com manteiga e farinha. Coloque metade da massa, polvilhe metade da muzzarela ralada, coloque o recheio, o restante da muzzarela  e a massa por cima.
    Assar em forno médio pré aquecido por mais ou menos 30min.
    Bom apetite!

    Sugestão:  esta receita também pode ser feita com recheio de frango, queijo com presunto, ou atum



    Luciana Lourenço

    Newsletters

    Inscreva-se para receber
    os nossos informativos!

    Por favor, insira seu email abaixo.